Aprendendo a lidar com a Psoríase

Esta é a minha primeira referência à Psoríase neste meu blog. A Psoríase é um problema genético e crônico, sem cura, atualmente. No entanto, não é grave e não leva à morte. Mais importante: não é contagioso e diminui com o afeto.

Quem é psoriático, ou quem tem Psoríase, costuma apresentar lesões inflamatórias na pele, sendo que os principais locais desejados pela doença são o coro cabeludo, as articulações (joelhos e cotovelos), pés e mãos. A forma mais conhecida de Psoríase é aquela em que nascem diversas “casquinhas” no corpo, provocantes de uma coceirinha irresistível, que levam a ferimentos quando retiradas.

Mas quem adquire a Psoríase? Como já comentado, ela parece ser um problema genético. No entanto, como se sabe, o surgimento se dá principalmente em pessoas muito ansiosas, estressadas, que sofreram ou sofrem uma grande pressão emocional. Eu, por exemplo, comecei a desenvolver a Psoríase quando passei por uma grave pressão emocional, familiar, relacionada a um acidente de um irmão e à minha crise religiosa, posterior a isso. É claro que eu já possuía a predisposição emocional, mas as ansiedades pioram muito esse quadro.

Ora, mas a questão aqui é outra. Como nós podemos conviver com esta doença? Já pensou nisso?

Assim que eu descobri que possuía Psoríase, a minha médica receitou o uso de corticóides, pelo menos por uma semana. Mas o uso desses medicamentos traz muitos efeitos colaterais, como pele ressecada, por exemplo, e  muitas vezes provocam um “efeito rebote”, quando é interrompido o uso dos remédios. Por essas e outras razões, eu descobri que é mais prudente atacar a doença com tratamentos alternativos, como o uso de fitoterapias, iôga, etc., embora eu não faça tais tratamentos. Atualmente eu procuro manter o nível de estresse num grau reduzido, utilizando de vez em quando alguma loção hidratante no coro cabeludo da cabeça. No entanto, se a Psoríase escapasse ao coro cabeludo, creio que eu a atacaria com outros medicamentos, embora isso ainda não tenha sido necessário.

Interessante paradoxo passam as pessoas com Psoríase: se elas ficarem tranquilas, a doença retrocede, mas se se estressarem, ela avança. Muitos se perguntam como ficar tranquilos, se a própria doença e seu desenvolvimento é uma constante causa de estresse!

Para concluir, talvez seja útil enfatizarmos algumas informações pertinentes:  a Psoríase não é contagiosa. Ela precisa ser aceita pelos portadores, pois isso facilitará a sua tranquilidade emocional e consequente melhoramento do quadro clínico. Além do mais, o afeto de todos os parentes e amigos, como já comentado, é de bastante ajuda para as pessoas que têm Psoríase. Portanto, procure manter-se tranquilo. Elimine o quanto possível os fatores de estresse e aceite a instabilidade da vida, aderindo a uma filosofia de vida positiva. Procure ser feliz!

Notas Importantes:

  • 29 de Outubro – Dia Nacional de Combate à Psoríase (veja aqui)
  • Site do movimento Psoríase Brasil (veja aqui)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: